9 de nov de 2011

Morte de Marcos de Paula

Nesta quarta-feira (09/11/2011), faleceu nosso querido Marcos de Paula. Sentimos a dor de sua ausência entre nós, mas nos alegramos com ele na esperança da glória de Deus. Morreu jovem, com apenas 17 anos, mas sua vida continuará falando. Ele é um verdadeiro vitorioso, pois “o último inimigo a ser destruído é a morte” (1Co 15.26). A morte morre para nós quando morremos para esta vida passageira.

Depois da morte não temos mais nenhum problema com nada, entramos na vida plena. Foi por isso que o apóstolo Paulo afirmou: “Para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” (Fp 1.21). Você já pensou na morte como lucro?

O sábio rei Salomão disse: “Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, pois naquela se vê o fim de todos os homens; e os vivos que o tomem em consideração” (Ec 7.2). Pouca gente concorda com isso, pois queremos viver e preferimos nos banquetear, mas o sábio nos chama a refletir sobre a realidade da vida que desemboca na morte. Não adianta ignorar a morte, ela é a grande certeza que temos pela frente. Somente está preparado para viver, quem está preparado para morrer.

A maioria das pessoas vive escrava do pavor da morte por toda a vida, até porque ninguém tem domínio sobre o dia de sua morte. Ela é a rainha dos terrores. O versículo citado acima a chama de inimigo. A morte é consequência do pecado. Isso teve início no jardim do Éden com Adão e Eva. “O salário do pecado é a morte”. A morte é a separação entre o espírito e o corpo.

A boa notícia do Evangelho, é que Jesus, o Filho eterno de Deus se tornou homem, habitou entre nós e morreu na cruz em nosso lugar. Precisávamos de um substituto perfeito e somente Jesus poderia ter feito isso. Deus o aceitou em nosso favor. O castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e por sua morte e ressureição nós fomos reconciliados com Deus. A morte morreu na morte de Cristo para que tenhamos vida.

Na cruz Jesus destruiu o poder do diabo sobre a morte. Ele despojou os principados e as potestades do mal, publicamente os expondo ao desprezo, triunfando sobre eles na cruz. Dessa forma fica fácil entender o que disse Jesus: “Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida” (Jo 5.24). Isto é, quem crê em Jesus passa da morte eterna para a vida eterna. O crente em Jesus ainda está sujeito à morte física (separação entre o espírito e o corpo), mas não mais à separação eterna de Deus.

Veja também:


Antonio Francisco - Cuiabá, 9 de novembro de 2011 - Voltar para Mensagens.

0 comentários: