5 de dez de 2013

Fique livre da culpa religiosa

Uma pessoa livre de culpa é uma pessoa feliz e abençoada, capaz de se relacionar bem com ela mesma, com outras pessoas e com Deus. A culpa inquieta, paralisa e atormenta, fazendo com que o culpado viva pela metade. Isso se torna ainda pior quando a culpa é de natureza religiosa sem procedência bíblica e baseada apenas nos critérios eclesiásticos. Mas, ninguém precisa viver culpado, principalmente diante de Deus que na cruz já perdoou todas as nossas culpas em Cristo Jesus.

Jesus veio ao mundo para acabar com nossa inimizade com Deus e nos tornar seus amigos. O castigo que Jesus sofreu na cruz nos traz a paz e nos deixa sarados de toda culpa, de modo que, “agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”, que nos aproximou de Deus, nos dando acesso ao Pai pelo Espírito Santo. De sorte que já não somos escravos de nenhuma culpa, porém filhos de Deus e também seus herdeiros. Esta é a nossa grande herança: Jesus se tornou nossa sabedoria, nossa justificação, nossa santificação, e nossa redenção. Nele estamos aperfeiçoados, mortos para o pecado e ressuscitados pela fé para uma nova vida, perdoados de todos os nossos delitos. Jesus cancelou o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, mas ele o removeu inteiramente, encravando-o na cruz; ali também ele despojou os poderes do mal e publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz.

Sendo assim, por que tantos crentes vivem inquietos e cheios de culpa? Por que se deixam julgar por causa de comida e bebida, dia santo, ritos e cerimônias? O crente não pode se deixar levar por ninguém que parece ser muito humilde, gente que conversa com anjos, que tem visões, prepotência religiosa, mas que não contribui com a unidade e o crescimento do corpo de Cristo. Quem morreu com Cristo para os ensinos falsos, não pode mais viver sujeito às doutrinas dos homens, às regras das igrejas que querem controlar as pessoas em todos os sentidos. Essas coisas são efêmeras e não levam a nada; parecem sábias e piedosas, mas não passa de religiosidade fingida, falsa humildade, zelo sem entendimento, e sacrifícios de tolos; sem valor algum contra os maus pensamentos e desejos pecaminosos de uma pessoa. A culpa religiosa é uma evidência da falta de conhecimento e vivência no Evangelho.

As pessoas estão sofrendo nas igrejas porque lhes falta o conhecimento de Deus. Os próprios pastores rejeitam o conhecimento por não conhecerem as Escrituras nem o poder de Deus. O diabo tem enganado as igrejas com muitas astúcias; a mente dos crentes foi corrompida e por isso se apartaram da simplicidade e pureza devidas a Cristo. As igrejas estão crendo em outro Jesus, estão aceitando outro espírito que não é o Espírito Santo, e tolerando um evangelho diferente do Evangelho de Jesus. As igrejas se transformaram em empresas, vivem de metas, desempenhos, alvos, orçamentos, e plano diretor; os crentes são usados como operários para fazerem a obra crescer, mas eles mesmos não crescem, embora tenham que fazer sempre mais para “agradar a Deus”, que na verdade é para agradar a eles mesmos e os líderes. As igrejas estão cheias de pessoas vazias de Deus e viciadas em campanhas e programas que os deixam cansados e não oferecem nenhum alívio para suas almas.

Pare hoje para fazer um exame de si mesmo à luz do Evangelho para ver se você está vivendo para Jesus ou para a igreja. Muitos se enganam ao pensarem que viver para Deus é viver para a igreja com sua religiosidade divorciada do Evangelho. Comece a ler a Bíblia como se nunca tivesse lido antes, principalmente o Novo Testamento. Leia procurando entender por si mesmo o que está escrito e não interpretando conforme as doutrinas de sua igreja, as revistas da escola dominical ou a confissão de fé de sua denominação. Você vai se surpreender com a diferença entre o que diz o Evangelho e o que diz o seu pastor. Não pense que está entendendo errado quando o seu entendimento na leitura for diferente das pregações em sua igreja. Você pode entender a Bíblia, não existem mistérios nisso. Não acredite que apenas o pastor e alguns “espirituais” na igreja é que podem entender a Bíblia. Quando você julgar tudo em sua igreja a partir do que ler no Novo Testamento e começar a rever seu estilo de vida para ser conforme o Evangelho, ficará admirado e sua vida vai mudar radicalmente para melhor.

Seja um “santo rebelde” em sua igreja. Participe dos cultos, mas não participe de nenhum ministério, e, se tiver alguma ocupação entregue seu cargo. Pare de dar o dízimo e de ofertar uma vez por outra, deixe de lado qualquer campanha ou reunião que não seja o culto de domingo por algum tempo. Nesse período leia bastante o Novo Testamento filtrando tudo na igreja por suas leituras bíblicas. Isso é terapêutico se você quer ser liberto das imposições da igreja. Não tenha medo de ser chamado de rebelde, frio, e ladrão por não dar o dízimo ou ofertar algumas vezes. Você será perseguido e criticado, o que mostra que a sua igreja é uma religião sem Evangelho. Observe que suas culpas dependem do que você faz ou deixa de fazer para a igreja e para Deus. Isso é doentio e não condiz com o Evangelho que liberta e pacifica.

A Bíblia diz: “Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranquilidade e na confiança, a vossa força”. Se você sente culpa porque está trabalhando pouco para Deus, porque não ora tanto quanto deveria, porque deixou de dar o dízimo algumas vezes e se sentiu ladrão de Deus, porque não é tão consagrado, porque não ler bastante a Bíblia, porque não ganha almas para Jesus, você precisa se libertar disso. Jesus disse: “O meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”. Os mandamentos do Senhor não são penosos. A vida cristã é para ser vivida com leveza e alegria e não um peso tedioso que temos de suportar para agradar a Deus. Aprenda a descansar no amor de Deus por você, descanse na graça de Deus vivendo com naturalidade sem ter que seguir nenhum programa religioso. Leia a Bíblia e veja se sua igreja parece com o que diz o Novo Testamento. Caso contrário, saia desse lugar que não lhe faz bem, que lhe deixa cada dia cheio de culpa como se Deus estivesse chateado com você. Meu amigo, você não é escravo, você é filho de Deus. Ele já lhe aceitou de graça e por graça através de Jesus; apenas viva pela fé conforme o Evangelho. Não acredite nesse sistema doente das igrejas evangélicas que há muito deixaram de ser evangélicas para se tornarem uma religião cheia de crendices, paganismo, e doutrinas de homens.

Mas, o que dizer para aqueles que já deixaram a igreja evangélica para viver a simplicidade do evangelho, mas que se sentem culpados com a sensação de que estão sem igreja? Meu querido, você em Jesus é igreja. Igreja não é prédio, não é programa, não é CNPJ, não é denominação. Fique livre desse mal e viva a vida que Deus lhe deu com alegria, sinceridade e amor como Jesus nos diz no Evangelho. Reúna sua família, vizinhos, e amigos para compartilharem suas vidas, orarem, e lerem a Bíblia. Não confunda Deus com as instituições religiosas. Lembre-se que "Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade" e não nos sistemas religiosos engessados.

E quanto àquelas pessoas que vivem felizes nas igrejas sem culpa, ativas e convictas de estarem servindo a Deus na igreja como ela é? Convicção nunca foi selo da verdade, os profetas de Baal exemplificam isso (1Rs 18). Muitos estão cauterizados e dormentes de mente sem nenhuma percepção crítica no meio em que vivem, convencidos de que as coisas são como são quando de fato não são, basta ler o Novo Testamento.

Cuiabá, 5 de dezembro de 2013 – Antonio Francisco – Voltar para Um novo caminho.

0 comentários: