23 de jun de 2012

A cura do cego de Jericó

Jesus e seus discípulos foram para Jericó. Quando ele saía da cidade, juntamente com os discípulos e numerosa multidão, Bartimeu, cego mendigo, filho de Timeu, estava assentado pedindo esmolas. Esse conhecido texto de Marcos 10.46-52 nos apresenta uma sintética mensagem do evangelho de Jesus. Algumas expressões dessa passagem bíblica têm muito a nos dizer quanto àquilo que somos e o que podemos receber de Deus se tão somente acreditarmos na bondade de Jesus.

“À beira do caminho”. O mendigo Bartimeu estava à beira do caminho enquanto Jesus passava com seus discípulos e a multidão. Acredito que ele estava ali todos os dias tentando sobreviver com o que recebia dos transeuntes. Esse é um retrato de muitos que vivem às margens da estrada da vida porque não encontraram ainda o caminho, a verdade e a vida que é Jesus.

“Pôs-se a clamar”. Ao ouvir que Jesus passava diante dele, Bartimeu começou a gritar. É como se ele tivesse pensando: “Se eu perder essa oportunidade de falar com Jesus, talvez nunca mais tenha outra chance”. Ele cria que Jesus, o Nazareno, era o enviado de Deus, o prometido como Salvador do mundo. O clamor de Bartimeu deveria ser o clamor de cada um de nós na dependência de Deus.

“Muitos o repreendiam”. Aqui encontramos algo estranho: Jesus era seguido por uma multidão que não aceitou a expressão de fé do cego. Mas, é exatamente isso que acontece quando alguém quer viver piedosamente em Cristo – será perseguido, e geralmente por quem diz ser de Jesus. Andar com Jesus é ter a consciência de viver na contramão deste mundo. A multidão não quer que clamemos.

“Mas ele cada vez gritava mais”. Bartimeu demonstrou como proceder ante a oposição de nossa fé. Ele ao invés de se calar, cada vez gritava mais. Isso mostrou sua convicção de fé em Jesus e também nos diz como proceder quando nossa fé for combatida. A atitude do cego não foi de revolta ou de fanatismo religioso, mas uma clara demonstração de confiança em Deus que não se deixa intimidar.

“Parou Jesus e disse: Chamai-o”. Acredito que ninguém esperava que aquilo acontecesse, mas foi exatamente o que aconteceu – Jesus ouviu o clamor de Bartimeu, parou e mandou chamá-lo. Isso só confirma o que encontramos em várias partes da Bíblia, que Deus habita com o contrito de espírito, que ele não abandona um coração quebrantado, que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

“Lançando de si a capa”. Ao ser informado que Jesus lhe chamava, Bartimeu agiu com todas as forças do seu ser. Ele jogou de lado a capa que lhe protegia do frio, do sol, e da poeira à beira daquela estrada, mas que naquele momento lhe era um obstáculo. Sempre penso naquela capa como algo que nos atrapalha e que deve ser lançado fora para que cheguemos a Jesus. Qual é a capa que você precisa lançar fora?

“Levantou-se de um salto”. Imagine a cena – um cego levantar-se de um salto. O entusiasmo de Bartimeu era evidente. Como já notamos, ele viu naquela oportunidade sua única chance de encontrar-se com Jesus. O salto do cego nos mostra como precisamos romper com qualquer obstáculo para chegarmos a Jesus e diz também que é preciso levantar-se dentre os mortos para recebermos vida.

“Foi ter com Jesus”. Aquele foi um momento único na vida de Bartimeu. Ele não estava levantando-se para cumprir um ritual ou ir a um local sagrado, não. Ele levantava-se para ir ter com Jesus, que disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei”. Nosso encontro com Jesus acontece onde estamos, pois ele se dá em nosso coração.

“Que queres que eu te faça?”. A pergunta de Jesus para Bartimeu parece ser desnecessária, pois, que mais o cego queria, senão ver? Mas, ela nos mostra ainda mais o interesse de Jesus por Bartimeu e por sua necessidade. Não são poucas as pessoas que já se acostumaram com suas deficiências que nem mais pensam em se livrarem delas. O que você mais precisa que Jesus faça por você hoje?

“Mestre, que eu torne a ver”. A resposta de Bartimeu à pergunta de Jesus já era esperada – ele queria ver. A versão bíblica que eu adotei (ARA – Almeida Revista e Atualizada da Sociedade Bíblica do Brasil), diz que o cego queria voltar a ver, dando a entender que ele já havia visto antes, não era cego de nascença. É o que precisa acontecer com algumas pessoas, voltarem a ver a vida de novo com outros olhos.

“Vai, a tua fé te salvou”. O poder de curar era de Jesus, mas o cego creu na possibilidade da cura, o que aconteceu imediatamente. Jesus Cristo é o mesmo sempre. Isso não significa dizer que tudo que cremos que ele fará por nós acontecerá, pois nem sempre sabemos o que pedimos a Deus, mas não se pode subestimar a necessidade de fé. Uma vez curado, Bartimeu seguiu a Jesus estrada fora.

A maior evidência de um verdadeiro encontro com Jesus, é que a pessoa passa a segui-lo por toda a sua vida, pois foi o que aconteceu com o cego Bartimeu. Ele não queria apenas um milagre, ele queria Jesus. Isso parece tão distante do que observamos no meio religioso, porque as pessoas não querem viver com Deus, elas querem apenas as bênçãos de Deus; elas não querem viver de modo certo, elas querem algo que vai dar certo, mesmo que seja contra a vontade de Deus. Que nossos olhos se abram por Jesus e para Jesus.

Antonio Francisco - Cuiabá, 23 de junho de 2012 – Voltar para Mensagens.

0 comentários: