27 de mai de 2012

Viver com Deus é bem melhor

É possível viver sem Deus? NÃO. Deus é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais; de um só homem fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra, havendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação; nele vivemos, e nos movemos, e existimos. Deus formou ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida; se ele cortar a nossa respiração, morremos e voltamos ao pó. Não é possível viver sem Deus.

Certamente não é possível existir sem Deus, porque nele vivemos e respiramos; e mesmo que alguém confesse não acreditar na existência de Deus, isso não altera a realidade. Além disso, o fato de uma pessoa não crer em Deus não significa que ela viva na periferia da vida. Em geral essas pessoas vivem bem no contexto em que estão, mesmo que muitas sejam arrogantes e perversas. Elas prosperam, enriquecem, vivem sem preocupação e com segurança máxima, são sadias, ou pelo menos desfrutam dos melhores planos de saúde, não se fatigam com seus afazeres, outras se ornam com soberba e violência, vivem no mundo das fantasias, falam maliciosamente, são opressoras, zombam de Deus, e vivem cercadas de bajuladores. Muitos dos que rejeitam a Deus parecem viver tranquilos e até aumentam suas riquezas. Mas, o que muitos não sabem, é que eles vivem em lugares escorregadios e que no fim cairão em destruição se continuarem rejeitando a Deus. Viver sem Deus é existir apenas para o que é temporário, carnal, externo, e efêmero. Não compensa.

Salomão, o terceiro rei de Israel nos mostra que é possível viver bem sem crer Deus, mas concluiu que viver com Deus é bem melhor. Ele experimentou a alegria aproveitando ao máximo o que a vida podia lhe oferecer, mas percebeu que o riso nem sempre tem a importância que parece ter. Entregou-se ao vinho com extravagância, investiu em projetos imobiliários, na agricultura, na pecuária, tinha muitos funcionários ao seu dispor, tinha tesouros de prata e ouro, tinha um grande número de mulheres para o seu prazer, cantores e cantoras alegravam suas festas, e tornou-se mais famoso e poderoso que todos os ricos que viveram antes dele em Jerusalém. Ele mesmo disse: “Tudo quanto desejaram os meus olhos não lhes neguei, nem privei o coração de alegria alguma”.

Salomão teve tudo que uma pessoa moderna poderia imaginar ter para ser feliz, mas aprendeu com suas experiências que tudo é vaidade e correr atrás do vento. Por isso, não precisamos provar por nós mesmos o que ele já nos adiantou. Ninguém encontra a felicidade correndo atrás dela. É como perseguir uma borboleta; enquanto queremos alcançá-la ela foge de nós, mas quando paramos se segui-la, ela pode vir ao nosso encontro e até pousar em nosso ombro. Assim é a felicidade, ela acontece quando deixamos de fazer dela a razão de nossa vida e encontramos em Deus a razão de nosso viver e morrer, como disse o apóstolo Paulo: “Para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro”. Podemos viver sem crer em Deus, mas vivemos apenas pela metade.

Podemos ter muito entretenimento, usufruir de todos os prazeres imagináveis, e até ganhar o mundo inteiro sem crer em Deus e sem viver conforme os valores que o Evangelho nos apresenta. Podemos viver assim para perceber em seguida que viver sem conhecer a vida abundante de Jesus é existir sem a vida de Deus em nós. É como disse Jesus: “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?”.

Comumente existem duas atitudes nas pessoas com relação a Deus: indiferença e medo. As pessoas que ignoram Deus costumam tratar com desdém os assuntos de natureza espiritual ou mesmo moral. Elas trabalham com as categorias do que acham acerca de tudo ou se identificam com aqueles que pensam como elas. Algumas dessas pessoas, mesmo rejeitando o Deus Eterno como o Criador e preservador de todas as coisas, têm suas crenças acerca do deus que creem, mesmo que seja um deus criado à sua imagem e semelhança. Por outro lado, existem os que acreditam na existência de Deus, mas que vivem com medo dele, tal é o conceito errôneo que fazem daquele que está no céu. Em geral essas pessoas são religiosas, moralistas, vivem de modo decente na sociedade e não dão motivo algum para que alguém fale contra elas. Isso deixa claro que tudo depende do conceito que se tem de Deus. Aliás, somos o que cremos, e vivemos de acordo com nossos conceitos, crenças, e convicções.

Daí a importância de conhecer o que a Bíblia diz sobre Deus, a vida de Jesus e seus ensinamentos, as cartas apostólicas e tudo o mais que nos foi revelado por inspiração divina, pois sem esse conhecimento nos apoiamos apenas nas crendices e em nossos próprios pensamentos, o que não é nada bom para justificar o que cremos e para fundamentar nosso modo viver para a esta vida e a eternidade.

Antonio Francisco - Cuiabá, 27 de maio de 2012 - Voltar para Um novo caminho.

0 comentários: