9 de jan de 2012

Se não tiver amor

O amor preenche a vida em todas as dimensões imagináveis. Mas, para os que apenas existem, o amor não é aceito, e não é vivido. O amor se torna estranho quando estranha é a vida para os que vegetam na existência efêmera de dias vazios de significado e de significados insignificantes. O amor é suficiente para os que amam, cuja recompensa vem do Amor maior que é o próprio Deus.

Esses dias um verso da Bíblia que conheço há mais de trinta anos falou comigo como se fosse a primeira vez. As palavras dizem: “Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor”. Apenas quem ama conhece a Deus. Essa é a marca do cristão. Sem amor posso conhecer a Bíblia e não conhecer a Deus; sem amor, posso ser o maior poliglota da história humana e até conversar com os anjos, se não tiver amor, farei apenas barulho e nada mais. Sem amor, posso falar coisas profundas sobre Deus e decifrar mistérios espirituais com grande conhecimento; minha fé pode ser capaz de superar os maiores obstáculos, se não tiver amor, nada serei. E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres, e entregue o meu próprio corpo para ser queimado em favor de alguém, se não tiver amor, nada disso tem proveito para mim.

O amor é paciente, ele conhece seu tempo e dá tempo ao tempo, pois sabe que tudo coopera para o bem dos que amam a Deus. O amor é bondoso e gentil; o amor não é ciumento, ele não se apropria das pessoas privando-as de uma vida plena e livre; o amor não é orgulhoso nem fica contando vantagem própria, ele não humilha os outros, não se conduz inconvenientemente sendo grosseiro e envergonhando alguém, não procura apenas os seus interesses, nem se irrita melindrosamente ficando ressentido com o malfeito alheio contra ele; o amor não se alegra com a injustiça, mas fica muito alegre com a verdade. O amor é capaz de sofrer tudo; talvez seja por isso que poucos amem ou queiram amar. O amor sempre crê, ele não é incrédulo nem pessimista, ele acredita nas pessoas mesmo quando traído e enganado. O amor espera sempre que as coisas aconteçam em prol da vida, ele suporta qualquer coisa.

O amor jamais acaba, mesmo que acabem as manifestações espirituais mais desejadas. Hoje, o amor é vivido em parte, mas um dia tudo será pleno e conhecido como somos conhecidos. Enquanto isso, nada nesta vida se compara ao amor; ele vincula tudo com perfeição em nós e entre nós. Essa é a qualidade indispensável em nossas vidas, pois é pelo amor que todos saberão que somos de Jesus. Se não tiver amor em nossa vida, tudo pode parecer ser, mas não é. Sem amor, a religião nos ilude, a piedade nos massageia, as boas obras nos deixam vaidosos, o conhecimento da Bíblia nos deixa orgulhosos, e tudo o mais fica oco, ainda que pareça belo e cheio de sentido. Jesus disse que um sinal do final dos tempos seria que o amor esfriaria de quase todos. Esse tempo já chegou, mas podemos estar entre os poucos que amam.

Antonio Francisco - Cuiabá, 9 de janeiro de 2012 – Voltar para Um novo caminho.

0 comentários: