27 de nov de 2011

Nus, sem vergonha

“Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam” (Gn 2.24-25). A relação mais íntima entre os humanos acontece no casamento. Deus nos criou para vivermos nus como Adão e Eva, mas o pecado gerou a vergonha da nudez (Gn 3.7-10), e depois disso Deus proibiu a nudez (Gn 3.21).

Não estou advogando em favor do nudismo, pois sei das implicações que isso tem. Mas quero observar que no ideal da nudez física, devemos cultivar a nudez moral, sentimental, enfim, devemos viver dando expressão real ao que somos. As vestimentas, apetrechos, ornamentos e tantos enfeites usados para nos cobrir, parecem demonstrar o desejo de nos escondermos cada vez mais. Trocamos a nudez pelas máscaras feias, com aparências do que não somos, porque passamos a nos envergonhar do que somos.

Quando será que voltaremos a viver nus, sem vergonha, mesmo vestidos? O ideal de Deus não deve perder o sentido para nós. Isso é possível entre os verdadeiros e íntimos, é natural entre os que se amam. Nós não nos intimidamos em ficar nus com quem amamos e temos aliança. A nudez física não excita automaticamente os íntimos. Algo mais íntimo os excita verdadeiramente. Vivamos nus, sem vergonha. A roupa nem será percebida, pois a verdadeira nudez a cobrirá.

O casamento é o ambiente ideal para a nudez. O livro de Cântico dos Cânticos mostra a relação romântica, erótica, amiga e fraternal de um casal. Ali o casal se expõe, contempla a beleza mútua e disserta sobre as várias partes do corpo, comentando a admiração um pelo outro da cabeça aos pés. Isso ilustra que a nudez entre um casal deve ser total. As vestes de um casal deve ser a transparência, o que infelizmente não é verdade em muitos casamentos. A nudez física no casamento é a mais superficial expressão de intimidade entre um casal. Mas, por razões várias, muitos casais não conseguem nem isso entre si. As causas são diversas, como conceitos ensinados pelos pais, tabus familiares, complexos físicos, traumas de abusos psicológicos e físicos, e uma infinidade de outros motivos.

Quando a nudez física entre um casal é um problema, o que dizer da nudez da alma? Entre muitos casais a comunicação é tão superficial que os dois não se conhecem, mesmo morando juntos por décadas. Alguns casais começam bem, mas a reação negativa e ferina de um dos cônjuges faz com que a outra parte se iniba e troque a transparência pela superficialidade na comunicação. Muitos conversam sobre as coisas e os acontecimentos corriqueiros da família e da sociedade, comentam os noticiários e coisas semelhantes, mas não conseguem expressar sentimentos em relação um ao outro, pois a rejeição, ou seja, a falta de transparência os impede de viverem nus. Todo casal deve viver nu, sem vergonha um do outro. Sem isso não há conjugalidade.

Antonio Francisco - Cuiabá, 26 de novembro de 2011 - Voltar para Encontros de Casais.

0 comentários: