28 de ago de 2011

Uma família abençoada

“Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos! Do trabalho de tuas mãos comerás, feliz serás, e tudo te irá bem. Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera; teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa” (Sl 128.1-3). O que significa ser uma família abençoada? Seria uma família rica e cheia de saúde? Qual sua impressão sobre o assunto?

“Quem se entrega a Deus não é feliz”. Essa é uma mentira com a qual o diabo tem conseguido enganar multidões. Andar nos caminhos de Deus para muitas pessoas é o mesmo que perder a dinâmica da vida; é enquadrar-se em sistemas opressores e castradores da felicidade humana. Isso não é verdade. O problema é que muita gente confunde religião com relação com Deus. As duas coisas são bem diferentes. Como disse Karl Marx: “A religião é o ópio do povo”. A religião ilude, mas o temor a Deus proporciona vida abundante, conforme disse Jesus (Jo 10.10).

Ao contrário do que muitos pensam, aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos é feliz e abençoado. Mas, é importante observar que essa felicidade é resultado de temer a Deus e viver em obediência à sua vontade. Todos querem uma vida abençoada, próspera e sadia. O que nem todos querem é viver na obediência a Deus. Uma vida abençoada por Deus não resulta da prática de ritos, tradições religiosas, ou ensinamentos de homens que não condizem com a Palavra de Deus. Essa vida feliz procede de um relacionamento consciente e obediente ao Evangelho a partir de uma convicção interior por obra regeneradora do Espírito Santo.

Temer a Deus não é ter medo ou pavor de Deus, é amá-lo e adorá-lo; é considerá-lo de tal maneira que ele se torna o primeiro em tudo em nossa vida. Temer a Deus é ter intimidade com ele, é manter com ele comunhão e reconhecer sua presença permanente. Quem assim procede, certamente é feliz. A qualidade de vida de uma pessoa que teme a Deus excede em muito a qualquer expressão religiosa que se possa imaginar.

O homem que teme a Deus trabalha sob a bênção de Deus e tem a promessa de que tudo lhe irá bem. Seu trabalho prospera e sua renda lhe possibilita manter sua família com dignidade. Junto com um trabalho abençoado, esse homem que teme a Deus tem uma família feliz. O que mais pode alegrar um homem que faz o que gosta no seu trabalho e volta para o aconchego de uma família abençoada por Deus?

A esposa desse homem abençoado é comparada a uma videira frutífera no interior de sua casa, ou seja, essa mulher é uma fonte de uvas doces, seu marido a chupa com prazer no interior de sua casa, na intimidade do casal. O livro de Provérbios diz: “Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias” (Pv 5.19). Essa é uma mulher ditosa e cheia de graça nas relações familiares. Mas, uma parreira frutífera não existe por acaso; ela precisa ser cuidada. Isso mostra um marido atencioso, protetor, e cuidadoso com sua esposa.

Os filhos dessa família abençoada são como rebentos de oliveira ao redor da mesa de casa. Filhos unidos, vivendo em harmonia e frutificando em toda boa obra. A oliveira é uma planta milenar, seus brotos sempre aparecem para mostrar a continuidade dessa árvore. Esse homem abençoado tem filhos abençoados, e, filhos bem cuidados dão descanso e delícias à alma de seus pais (Pv 29.17).

A bênção desse homem vem de Sião. Jerusalém era a cidade santa. Na visão do Antigo Testamento, Deus habitava no templo. Era de lá que procedia todas as bênçãos do Senhor sobre o seu povo. Hoje não temos mais essa conotação geográfica de um local sagrado, pelo contrário, nós é que somos o templo ambulante do Espírito Santo. A bênção de Deus não vem de algum lugar, ela está permanentemente em nós.

Esse homem que teme a Deus e tem uma família abençoada, tem longevidade para ver o bem na prosperidade de seu povo e usufruir da companhia de seus netos numa relação de paz, sob a bênção contínua do Senhor. É possível ser abençoado e ter uma família igualmente abençoada por Deus. Basta querer e se dispor a viver conforme a boa, perfeita e agradável vontade de Deus para cada um de nós.

Antonio Francisco - Cuiabá, 28 de agosto de 2011 - Voltar para de Encontros de Casais.

0 comentários: