1 de ago de 2011

Outro evangelho

“Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo” (Gl 1.6-7). Paulo ficou perplexo ao saber que os crentes que haviam recebido o evangelho da graça, rapidamente estavam mudando para um outro evangelho que não era o Evangelho.

Paulo disse que mesmo que ele e seus companheiros ou mesmo um anjo vindo do céu lhes pregasse evangelho diferente daquele que ele havia pregado para eles, que fosse amaldiçoado quem assim fizesse (Gl 1.7-8).

Esta palavra é para todos nós, para os que se dizem seguidores de Jesus e os que pregam o evangelho. A Bíblia não mudou, o evangelho não mudou, Deus não mostrou nem mostrará nada a ninguém que contrarie o que está revelado nas Escrituras Sagradas.

Fico entristecido tantas vezes com a ignorância do povo, com o analfabetismo bíblico dentro das igrejas. Quantas tolices, bobagens, mentiras, e heresias têm sido anunciadas dos púlpitos e o povo apenas diz amém, porque lhe falta o conhecimento de Deus.

Todos têm acesso à Bíblia, todos podem ler a Bíblia e aprender de Deus, mas não tem acontecido assim. O outro evangelho continua perturbando a fé do povo. Isso porque multidões confiam mais nos pregadores do que nas Escrituras. O povo sofre porque lhe falta o conhecimento da verdade.

Alguém poderia dizer: ‘Os pregadores estão com a Bíblia aberta pregando o evangelho’; ‘eles conhecem a Bíblia mais que o povo em geral’. É aí que mora o engano. A maioria dos que pregam a Bíblia não conhecem a Bíblia, ou seja, não ensinam a Bíblia com fidelidade e clareza. Aqui lembro o que disse com precisão certo pastor: “A Bíblia é a mãe das heresias”. Ou seja, toda heresia usa a Bíblia como fundamento. O que pouca gente sabe é que um texto fora do contexto vira pretexto. As falsas interpretações têm enganado a muitos.

Nos dias do apóstolo Paulo já havia os que tinham forma de piedade sem nenhum poder, que entravam sorrateiramente nas casas e conseguiam cativar mulherinhas sobrecarregadas de pecados, conduzidas de várias paixões, que aprendiam sempre sem jamais chegarem ao conhecimento da verdade. Paulo disse: “Foge destes” (2Tm 3.5-7). Isso continua acontecendo em nossos dias com mais intensidade. Cuidado: Qualquer novidade em matéria de fé cheira heresia. O pregador do evangelho não tem que inventar nada, criar nada, mas, tão somente entregar o evangelho como ele é.

O diabo tem corrompido a mente das pessoas e muitos têm perdido a simplicidade e a pureza da vida com Cristo. Muitos estão pregando outro Jesus, falando por outro espírito que não é o Espírito Santo, anunciando um evangelho diferente, e tudo tem sido tolerado e aceito como verdade de Deus (2Co 11.3-4).

Muitos não têm permanecido no Evangelho. Aliás, muitos nem conhecem ainda o Evangelho, mas tão somente as doutrinas dos homens. A maioria das pessoas pensa que viver para Deus é seguir o programa da igreja que elas frequentam; pensam que o evangelho é defender a confissão de fé da denominação e as doutrinas da igreja. Tem gente pensando até que o evangelho é a igreja dela.

A maioria das igrejas já passou para o outro evangelho. Como os crentes da Galácia que começaram no Espírito e quiseram se aperfeiçoar na carne, assim estão as igrejas hoje. Viver pela fé foi substituído por viver pelas obras. Os crentes vivem de desempenho, de conquistas, de campanhas, de barganhas com Deus. Esse é o outro evangelho. Ser igreja hoje em dia é ter estratégia, meta, alvo, programa. O Evangelho de Jesus não é nada disso. O outro evangelho está enganando e amaldiçoando. Deus nos livre. Leia também: Permanecer no Evangelho.

Antonio Francisco - Cuiabá, 1 de agosto de 2011 - Voltar para Um novo caminho.

0 comentários: