7 de jul de 2011

Tomé, homem de fé

Hoje recebi o telefonema de um amigo perguntando sobre a relação de amizade de Tomé com Jesus, e sua tão propalada incredulidade. Ele comparou alguns textos bíblicos e agora queria se certificar de algumas coisas. Além disso, ele estava ouvindo alguém ensinar algo com base na vida de Tomé que lhe deixou curioso. A partir daquele contato decidi escrever sobre a fé do apóstolo Tomé.

Tomé, cujo nome significa ‘gêmeo’, também conhecido como Dídimo, foi um dos doze apóstolos escolhidos por Jesus. Como gêmeo, não sabemos quem era seu irmão. Tomé ficou popularmente conhecido por sua incredulidade.

Ele não estava presente quando Jesus apareceu pela primeira vez aos onze apóstolos depois de ressurreto. Por isso, ele questionou a veracidade daquela informação. Na semana seguinte Jesus apareceu novamente aos apóstolos. Naquela ocasião Tomé estava presente e creu.

Mas será que Tomé era realmente um homem sem fé? Ele foi realmente um apóstolo incrédulo? Acredito que não. Jesus o escolheu e ele o seguiu durante todo o seu ministério terreno se mantendo fiel. Por não acreditar na ressurreição sem comprovação ele ficou marcado como incrédulo, mas isso não é verdade. Isso ilustra o que acontece comumente com as pessoas ao nosso redor. Um ato indevido, um acidente, ou mesmo um erro proposital marcam pessoas para sempre, mesmo que isso não corresponda ao estilo vida delas ao longo dos anos. Foi isso o que aconteceu com Tomé.

Tomé era um homem de fé na verdade, nos fatos. Ele precisava se certificar antes de acreditar em algo. Isso não é falta de fé, isso é fé bíblica, pois fé é certeza, é convicção em fatos. Alguns precisam ver para crer, até que crendo, deixem de precisar ver para continuar crendo. Jesus censurou a incredulidade de Tomé em sua primeira aparição aos discípulos, mas isso não é o mesmo que dizer que Tomé não tinha fé. Ele aceitou o Cristo ressurreto como seu Senhor e seu Deus.

Como seguidor de Jesus, Tomé nunca chamou a atenção por práticas contrárias à fé. Ele aparece no meio da lista de nomes dos apóstolos. As instruções que Jesus deu aos doze de como proceder nas missões e nas relações interpessoais não tiveram nenhuma alteração com respeito a Tomé. A escolha desse apóstolo por Jesus é resultado de uma noite de oração. Quando amanheceu ele selecionou doze entre os seus discípulos, sendo um deles Tomé. Algumas atitudes de Tomé mostraram que ele foi um homem de fé e por tais atitudes devemos ser agradecidos.

Quando Jesus soube da morte de Lázaro e se dispôs a ir até Betânia onde ele estava sepultado, Tomé foi o apóstolo que disse aos condiscípulos: “Vamos também nós para morrermos com ele”. Depois disso foram visitar a família do falecido e Jesus o ressuscitou. Esse é Tomé, homem de fé, de coragem, de iniciativa. A fé sem obras é morta, como temos visto hoje em dia, onde as pessoas dizem ter fé apenas por concordarem com um corpo de doutrinas, e uma lista de princípios denominacionais. Tomé mostrou que fé se expressa, obedece, ouse, age, vai em frente.

Uma das passagens bíblicas mais apreciadas pelos leitores da Bíblia é onde Jesus afirma: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. Mas, o que poucos observam é que essa maravilhosa revelação de Jesus veio como resposta a uma pergunta de Tomé. Poderíamos ter ficado sem essa inspirada preciosidade, não fosse o jeito próprio de Tomé de se certificar de tudo o que merecesse a sua fé. Ao contrário do que parece, é isso que precisamos hoje. A credulidade ingênua das pessoas tem servido aos charlatões. A fé cristã não é cega, ela tem fundamentos sólidos. Devemos estar sempre preparados para responder a todo aquele que nos pedir razão da esperança que temos em Cristo. E isso requer certeza do que se crê.

Tomé continuou firme em sua fé. Ele teve outras oportunidades de ver o Cristo ressurreto, como na praia do mar de Tiberíades, onde teve um privilegiado desjejum com o Senhor e outros discípulos. A última vez que Tomé viu Jesus foi no monte Olival, de onde ele subiu de volta ao céu. Tomé estava no cenáculo orando com os demais apóstolos, com outras mulheres e Maria mãe de Jesus antes do Pentecostes.

Antonio Francisco - Cuiabá, 7 de julho de 2011 - Voltar para Mensagens.

3 comentários:

Acabei de ler e concordo contigo, com genero, numero e grau.
Tomé ainda teve coragem de ir contra a opinião de outros do meio,sem medo de ser chamado de incrédulo, diferente de muitos crentes que não mantém suas opiniões afim de ficar do lado da maioria.
Tomé queria ser Jesus para Jesus.

Agradeço a Deus por sua vida e fico feliz por tão belo parecer sobre Tomé. Pessoas que tiveram um real encontro com Deus mudam na caminhada de discipulado e foi isso que aconteceu com Tomé e os outros apóstolos verdadeiros. Isso se repete hoje, mesmo em meio a tanta falsidade. Os verdeiros discipulos se revelam e deixam lições que verdadeiramente glorificam a Deus.

queridos muito importante esta abordagem, mas o fato é que Tomé foi um dos maiores pregadores após a acenção de Jesus, ele foi para varios paises pregando o evangelho, no qual ele creu e levou a palavra, a biblia não relata mas vez um trabalho tremendo na india, diria que quase foi um Jose do Egito na india, Deus vos abençoe