5 de jul de 2011

Quem é cristão?

Juntamente com minha família deixei a igreja institucionalizada, a igreja como denominação, conforme se conhece. Não me foi difícil fazer isso, mesmo tendo ficado lá por trinta e dois anos. Minhas filhas sentiram um pouco a mudança, mas minha esposa foi a mais atingida. Ela nasceu numa família evangélica e chegou a ter sentimentos de culpa. Graças a Deus que isso passou e hoje nos sentimos bem.

Faço essa citação apenas para mostrar onde estou com minha família em relação ao universo “evangélico”. Entendo que precisa ser desmistificada a idéia que, ser cristão, é ser membro de uma “igreja evangélica”. Isso está tão enraizado em nossa cultura que, não aceitar isso, parece uma blasfêmia contra Deus. Acho que foi mais ou menos isso que minha esposa sentiu quando deixamos a “igreja evangélica”. É exatamente isso que muitos que estão lá pensam. Eles sabem que existem muitas coisas fora dos eixos, que alguma coisa essencial está faltando, mas não conseguem romper com a “vaca sagrada” da igreja institucional regida por artigos doutrinários, conselhos espirituais, assembléias, concílios, e código de conduta para os membros. Esse é o reino de Deus para eles. Para essas pessoas, sair desse meio é o mesmo que se desviar do evangelho, deixar a verdade, e ir para o mundo perdido. Mas, você pode se libertar disso ainda hoje, pois, ser cristão segundo Cristo é exatamente negar tudo isso que aí está como igreja histórica.

A Bíblia diz que para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Devemos permanecer firmes e não nos submetermos jamais a nenhum jugo de escravidão eclesiástico. Um desses jugos é ensinar que sem a igreja instituição, não há salvação. Não dizem isso, claro, mas demonstram. Mas aqui está a contradição: qualquer ímpio pode ser membro de uma igreja evangélica, bastando para isso concordar com a confissão de fé da igreja, aceitar ser batizado, não beber nada alcoólico, não fumar, não dançar, ser dizimista, e ser casado no civil, entre outras coisinhas que qualquer pessoa que não teve a experiência do novo nascimento pode satisfazer. Essas pessoas podem até ficar na igreja, mas com restrições. Também são consideradas crentes de segunda categoria. Jamais dirão isso, mas é assim que as pessoas se sentem; discriminadas, rejeitadas, e culpadas, mesmo que digam crer em Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas.

Jesus não criou o cristianismo, não instituiu nenhuma religião, não deu a ninguém franquia de sua igreja. A Igreja de Jesus é um movimento, não um monumento construído como referencial da casa de Deus. Jesus disse que Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. Não há local sagrado para o cristão e nem dias santos. A vida cristã é um todo em tudo o que nos envolve. Jesus disse que o vento sopra onde quer, podemos ouvi-lo e senti-lo, mas não sabemos de onde ele vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito. O cristão é nascido de Deus, ama a Deus e guarda os mandamentos de Jesus, dentro dele está a divina semente que o capacita a não viver na prática do pecado, ele tem o testemunho do Espírito Santo que testifica ao seu coração que ele é filho de Deus. Ser cristão é ser nova criatura, é andar em novidade de vida, é ser cheio do Espírito, é não satisfazer os desejos carnais, é amar o seu próximo como a si mesmo, amar os inimigos e orar pelos que lhe perseguem. O cristão tem percepção de tudo, ele tem a mente de Cristo.

Onde estão os cristãos? Dentro das igrejas evangélicas? Talvez existam alguns por lá, mas eles estão em todos os lugares. É isso que crente não entende. Foi assim que fizeram os discípulos de Jesus quando proibiram um homem de expulsar demônios em nome de Jesus porque ele não seguia com eles. “Se não estiver conosco não é de Deus, se não parecer conosco não é nosso irmão”. O cristão não é assim.

O bom samaritano era visto como um ímpio, mas agiu como cristão, enquanto o sacerdote e o levita foram verdadeiros ímpios. Jesus disse que prostitutas e publicanos precederão aos religiosos no reino do céu. É preciso sair do claustro evangélico, ser guiado pelo Espírito Santo, iluminado pela palavra de Deus e não pelo mapa da igreja. A vida cristã acontece na caminhada da vida e não em dias e locais sagrados.

Antonio Francisco - Cuiabá, 5 de julho de 2011 - Voltar para Um novo caminho.

1 comentários:

Post muito bom.
De : Josymar