8 de jul de 2011

A fé em Jesus não é uma religião

Poucos aceitam a suficiência do Evangelho de Jesus Cristo. A vida cristã conforme a igreja primitiva não durou muito. Isso quer dizer que precisamos voltar ao início de tudo. No terceiro século da era cristã o Imperador Constantino cristianizou o império romano oficializando a fé cristã. Desde então surgiu o cristianismo, que pouco tem a ver com Jesus, apesar de estarmos acostumados com o que está aí.

O cristianismo não foi fundado por Jesus; ele não criou uma religião, nunca defendeu uma sigla, uma estrutura, uma metodologia. Jesus veio para nos reconciliar com Deus, nos ensinar a viver em paz com o Altíssimo, com o próximo e nós mesmos. A Igreja de Jesus consiste no ajuntamento e na convivência dos que nele creem. A igreja de Jesus não é apenas uma organização registrada, com endereço, sede, estatuto, e código de conduta. A igreja virou tudo isso, mas não é exatamente isso que Jesus chama de sua igreja. Ele veio para redimir um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras.

Depois da cristianização do Império Romano, veio a Idade Média, conhecida como Idade das Trevas. Foi um milênio de obscuridade espiritual, guerras religiosas, crendices, indulgências, abusos políticos e religiosos, inquisição, e muita ignorância espiritual. Uma demonstração disso é que nessa época, uma Bíblia custava o equivalente a um ano de trabalho de um operário.

O despertamento cultural ocorrido na Europa no século XV conhecido como Renascença, provocou mudanças em todos os níveis, culminando com a Reforma Protestante encabeçada por Martinho Lutero, e seguida da reforma teológica por João Calvino. Veio a contra-reforma católica e movimentos diversos começaram a pipocar para todos os lados.

Algum tempo depois surgiram os avivamentos espirituais liderados por pregadores inflamados. Muitos desses avivalistas foram impedidos de pregar nas catedrais e passaram a ter um ministério itinerante, pregando em locais públicos. As denominações começavam a surgir com suas diferenças próprias.

Movimentos missionários se espalharam por todo o mundo, católicos e protestantes. Lamentavelmente os interesses culturais de origem dos missionários e a falta de respeito pela cultura dos povos visitados, atrapalharam em muito o puro anúncio do evangelho. Ainda hoje é sentida essa falta de discernimento enraizada em nosso meio.

A compreensão de muitos se aferra a essa trilha histórica popularmente conhecida. Cada um se serve da história para encontrar suas razões e fundamentos para defender o que defendem. Mas, a história é uma só e um pouco mais de conhecimento ajudaria muita gente a tirar conclusões mais ponderadas e acertadas.

Historicamente a Igreja nasceu no dia de Pentecostes (At. 2). A partir daí, todos os ramos cristianismo se apegam para defenderem suas posições e raízes. Até o início do século IV a fé vivida na igreja se mantinha condizente com o Evangelho de Jesus. Depois disso vieram as ramificações diversas sem a simplicidade devida a Jesus.

A igreja institucionalizada por Constantino e mantida até hoje como uma religião cristã, não é a Igreja conforme Jesus fala nos evangelhos. Hoje em dia a coisa está mais piorada que nunca antes. A igreja hoje virou negócio em vários lugares. As igrejas são categorizadas por visões, estilos, e linguagens; é uma máquina gestada para concorrer. Nesse meio, a fé não se basta em Jesus sem os andaimes da religião.

A igreja hoje se envaidece de sua estrutura, seu crescimento, sua prosperidade, sua visibilidade, sua extensão, mas não consegue perceber sua qualidade rasa. Jesus está à porta, mas não entra na igreja, pois seu jeito de ser tem há muito se tornado nauseante. A fé em Jesus nunca foi e jamais será uma religião. O justo vive pela fé em Jesus sem a necessidade de nenhuma visibilidade que lhe ancore na caminhada da vida.

Antonio Francisco - Cuiabá, 8 de julho de 2011 - Voltar para Um novo caminho.

2 comentários:

Um pouco de história para os "caminhantes"

De:
Josymar

Cada dia que passa veio aprendendo no blog.
Essa semana tive aula de historia sobre "Lutero" muito bom você saber o que aconteceu, e ver que hoje as pessoas vivem dessa maneira.

Abraçãoo