5 de jun de 2011

Os frutos do arrependimento

A palavra arrependimento está em desuso, para não dizer desgastada. O sentido da palavra há muito perdeu o sentido primeiro (etimológico). Quando muito, se fala em arrependimento como um remorso, o que difere do que a Bíblia fala do assunto. Se você chegar na porta de um presídio e perguntar por quem ali está arrependido, vai descobrir que muitos vão assumir arrependimento mesmo sendo remorso.

A Bíblia diz: “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento” (Mt 3.8). Os evangelhos falam que temos de nos arrepender de nossos pecados; João Batista começou o seu ministério falando do arrependimento (Mt 3.1-2); Jesus começou e terminou seu ministério falando de arrependimento (Mt 4.17; Lc 24.36-53); Os discípulos de Jesus pregavam o arrependimento (Mc 6.12); A mensagem de Pedro no dia de Pentecostes foi de arrependimento (At 2.38). O apóstolo Paulo pregava arrependimento (At 26.20); O mandamento de Deus é “que todos, em toda parte, se arrependam” (At 17.30). Jesus disse: “... se, porém, não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis” (Lc 13.3).

1º - Arrependimento é uma mudança de pensamento. Na parábola dos dois filhos (Mt 21.28-32), o pai mandou que seus filhos fossem trabalhar na vinha. Um deles disse: “Não quero; depois, arrependido, foi” (v. 30). Aquele filho mudou o pensamento a respeito da ordem do pai. Isso é arrependimento, mudar a maneira de pensar acerca de alguma coisa. Você reconhece seu erro e muda o modo de pensar sobre o assunto.

2º - Arrependimento é uma mudança de sentimento. O verdadeiro arrependimento gera uma atitude de repúdio ao pecado cometido. Um bom sinal do arrependimento é não continuar a fazer o erro que fazia. O apóstolo Paulo escreveu: “agora, me alegro não porque fostes contristados, mas porque fostes contristados para arrependimento; pois fostes contristados segundo Deus, para que, de nossa parte, nenhum dano sofrêsseis. Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte” (2Co 7.9-10).

3º - Arrependimento implica mudança de propósito. Isso leva a pessoa a confessar seu pecado a Deus (1Jo 1.9), abandonar o mal e converter-se ao Senhor Jesus (Pv 28.13). Note que uma coisa leva a outra. O filho pródigo não apenas mudou seu modo de pensar em relação ao Pai, ele também caiu em si, e, voltou para casa (Lc 15).

Quando João Batista apareceu pregando arrependimento, multidões vieram para ouvi-lo. Entre elas estavam muitos fariseus e saduceus. João se indignou contra eles e disse: “Raça de víboras, quem vos induziu a fugir da ira vindoura? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento” (Mt 3.7-8). João reprovou aqueles homens especificamente porque eles eram religiosos que confiavam apenas em seus méritos e rituais e por se orgulharem de ser descendência de Abraão segundo a carne. Porém, se não evidenciassem uma vida transformada com resultados visíveis como frutos, seriam à semelhança de uma árvore infrutífera, cortados e lançados ao fogo (Mt 3.1-10).

A vida cristã não consiste de rituais, regras, e moralismos. Mudanças externas não têm nenhum efeito espiritual em nossas vidas. Andar com Jesus como discípulo seu significa nascer de novo do Espírito Santo (Jo 3.3, 5, 7), ser nova criatura (2Co 5.17) e andar em novidade de vida (Rm 6.4).

Quando uma pessoa se arrepende dos seus pecados e se converte ao Senhor Jesus Cristo pautando sua vida conforme o Evangelho, ela despreza as crendices, os sistemas religiosos, os rituais, os lugares sagrados, os dias santos, os horários e locais “abençoados”, e passa a viver em novidade de vida em todo o seu modo de ser.

Estou descobrindo cada dia o quanto as pessoas dependem de cabrestos religiosos para se sentirem seguras. Os crentes, como índios, têm necessidade de um cacique e de um pajé no sentido mais primitivo do termo. Caso contrário, não sabem o que fazer. Quanto a mim, estou decidido a deixar esse povo se incomodar com a graça, até que abram mão dos fundamentos tolos, e dos currais eclesiásticos. É fácil saber se você é de Jesus ou apenas membro de um clube religioso. Paulo disse: “Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados” (2Co 13.5).

Antonio Francisco - Cuiabá, 5 de junho de 2011 - Voltar para Um novo caminho.

0 comentários: