30 de jun de 2011

Amputados e perfeitos

Um irmão querido da Comunidade do Caminho me procurou para falar de sua luta interior depois que começou a me ouvir ensinando o Evangelho. Às vezes pensa em parar de vir, mas, como ele mesmo disse: “Aprendi aqui em dois meses o que não aprendi em vinte anos”. Esse é o poder do Evangelho de Jesus. A palavra de Deus nunca volta vazia, ela faz sempre o que lhe apraz (Is 55.11).

A experiência desse irmão ilustra bem o que Jesus falou aos seus discípulos: “Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno. E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não vá todo o teu corpo para o inferno” (Mt 5.29-30). Jesus disse que olho e mão devem ser cortados apenas se estiverem nos fazendo tropeçar, vivendo contrário à vontade de Deus. Cabe aqui dizer o óbvio: Jesus não está ensinando a fazermos amputação literal cortando os membros de nosso corpo, mas sim deixarmos de olhar e fazer o que nos leva a pecar.

Nesse sentido, a amputação é uma marca do seguidor de Jesus. Quando alguém recebe a nova vida em Cristo pelo poder regenerador do Espírito Santo, ela se amputa de muitas coisas que ela olhava e fazia normalmente, mas agora até se envergonha ao lembrar-se de suas práticas reprováveis de então. Essa realidade é própria do cristão, independentemente de qualquer orientação externa que ele possa receber de alguém. A nossa vontade inclinada para o mal luta contra o Espírito Santo de Deus que passa a habitar em nós desde o novo nascimento espiritual, desde a conversão a Cristo. Essa batalha espiritual interna não acontece apenas no início da vida cristã, ela perdura por toda a nossa vida terrena, pois a nossa inclinação pecaminosa nunca se dobrará totalmente a Deus. Temos que matá-la diariamente alimentando o nosso espírito com a palavra de Deus, com oração, e praticando a amputação sempre que for necessária.

A pessoa que ainda não teve a experiência de conversão a Jesus pela ação regeneradora do Espírito Santo, não entende essas coisas, porque lhe parece loucura, pois elas são discernidas espiritualmente; enquanto que para o cristão é o poder de Deus em sua vida. O que nos parece feio pode ser exatamente o que é lindo para Deus, ou seja, a amputação espiritual. Quando nossos valores mudam, nosso olhar e nossas ações mudam para se ajustarem à vontade de Deus. Mas, ao contrário do que possa parecer, essa é a alegria do cristão, viver de glória em glória sendo transformado pelo Espírito Santo. É melhor ir para o céu amputado do que ir todo o corpo para o inferno.

Somos ensinados pelas Escrituras Sagradas a não amar o mundo, esse sistema alienado de Deus que está aí diante de nossos olhos caído aos pés do diabo. Não é possível amar esse mundo e as coisas que nele há, e ao mesmo tempo amar a Deus. O que costuma atrair os nossos olhos e atrair nossos desejos nos leva ao orgulho se aceitos, porque procede apenas do sistema deste mundo afastado de Deus. Tudo isso vai passar logo. Mas, aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre.

Mas é preciso cuidado para não generalizar o seu estilo de vida para todas as pessoas que estão ao seu redor. As coisas essenciais devem ser abraçadas igualmente por todos; as secundárias devem ser vistas com a liberdade de consciência de cada um; e tudo deve ser adornado com amor, pois sem ele nada nos aproveitará. A minha amputação não tem que ser necessariamente a de outra pessoa, e vice-versa. Todos se amputam, mas não tem que ser do mesmo modo, com os mesmos membros ou com a mesma intensidade ou frequência. Cada um deve andar conforme a direção de Deus e a sua própria consciência conforme o Evangelho. Nenhum cristão precisa que alguém lhe dite regras de conduta. Ele já tem o guia que é o Espírito Santo que nos conduz a toda a verdade e a Bíblia que é lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos. As normas de conduta, próprias das igrejas evangélicas, têm aparência de piedade, mas nenhum poder contra a natureza má que guerreia dentro de nós.

A amputação que Jesus requer de seus discípulos nos deixa perfeitos aos olhos de Deus, pois esse é o mandamento do Senhor: “sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste”. Cabe a mim e a você decidir o que queremos: ser perfeitos conforme nossos interesses egoístas, ou ser amputados de tudo o que não convém à santidade para agradar a Deus. É uma questão de decisão, convicção e, sobretudo, de conversão a Jesus.

Antonio Francisco - Cuiabá, 30 de junho de 2011 - Voltar para Um novo caminho.

2 comentários:

Essas palavra mostra o que vem passando semanalmente em minha vida,isso só mostra pra mim que para tomar decisão temos pedir apoio a Deus,e deixar o esprito santo deixa transparecer na nossa vida,não podemos se deixar levar pela imposição das outras pessoas todos nós pensamos diferente por isso não devemos seguir opinião de ninguém.

Obrigado.
tenho aprendido muito com você.
Abração
"Antônio"

Obrigado F....A por seu comentário estimulante. Continue visitando nosso espaço.

Grande abraço,

Antonio Francisco