13 de mai de 2011

Discipulado no caminho

“Basta ao discípulo ser como o seu mestre” (Mt 10.24). O que é ser discípulo de Jesus? A resposta é ser como Jesus. Basta ser como Jesus. Isso é tudo. Temos a vida terrena e eterna para viver em função disso. Esse deve ser o nosso propósito de vida. Esta é a vontade de Deus, que pareçamos com seu Filho Jesus (Rm 8.29). Ele quer que sejamos aperfeiçoados e edificados como corpo de Cristo, que todos cheguemos à mesma fé e conheçamos plenamente Jesus.

Mas, ser como Jesus na condição de um discípulo seu é mais que imitar o seu exemplo. Aliás, é possível viver em Jesus e Jesus viver em nós, mas ninguém é capaz de imitá-lo com base na exemplificação. Ser discípulo de Jesus é conhecer Jesus. Mas, o que é isso? Jesus disse que a vida eterna consiste em conhecer a Deus (Jo 17.3). Certamente ele não falava de estudo bíblico ou curso teológico. Não sejamos ingênuos achando que conhecimento bíblico é o mesmo que conhecer o Deus vivo revelado na pessoa de Jesus Cristo. Conhecer a Deus é algo que parte de Deus, gerando em nós uma nova vida, a vida do próprio Jesus em nossa vida. Ele se torna a nossa vida espiritual. Jesus disse: “Quem de mim se alimenta por mim viverá” (Jo 6.57). O apóstolo Paulo disse: “Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, vivo na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gl 2.19-20). Isso é conhecer Jesus. Isso é ser discípulo.

O discipulador do discípulo de Jesus é o próprio Jesus. A vida do discípulo está em Jesus. Ele mesmo disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (Mt 11.28-30). Este é o verdadeiro discipulado: vir a Jesus, receber o seu alívio e descanso para a alma, aprender dele com sua vida mansa e humilde, e não apenas sobre ele. O discipulado de Jesus é suave e leve.

Isso é completamente diferente da filosofia de discipulado praticada em várias igrejas, onde alguém adota um crente, geralmente novato, e lhe cadastra num programa legalista de exercícios e deveres religiosos a serem desempenhados pelo discípulo. Quase sempre o discipulador não pratica o que cobra do irmãozinho fisgado no sistema. É como Jesus disse dos escribas e fariseus: “... dizem e não fazem. Atam fardos pesados [e difíceis de carregar] e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los” (Mt 23.3-4). Esse tipo de discipulado é feito de cursos, interrogatórios, prestações de contas e disciplinas (suspensão de privilégios eclesiásticos). Em alguns casos, o discípulo fica com a vida nas mãos do discipulador. Isso não é discipulado, é manipulação, é uma máquina de fazer loucos. Muitos ficam surtados por não conseguirem cumprir devidamente o programa.

Então, o que Jesus quis dizer quando ordenou aos seus apóstolos fazerem discípulos? Ele disse: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações” (Mt 28.19). Essa passagem bíblica diz que eles deveriam ensinar os discípulos de Jesus a guardarem todas as coisas que ele tinha ordenado (Mt 28.20). Isso é completamente diferente de tudo o que conheço de discipulado nas igrejas evangélicas. Para ter uma noção do que significa ensinar o que Jesus ordenou, as pessoas precisam ler os evangelhos, coisa que muitos discipuladores nunca fizeram. Então, como podem fazer discípulos para Jesus, se lhes falta até o elementar, ou seja, o conhecimento informativo sobre Jesus!?

Jesus foi claro quanto ao discipulado. “Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23). Qualquer pessoa pode ser discípulo de Jesus. Mas, tem que querer ser discípulo. Não existem discípulos coagidos, contrariados. O caminho do discipulado já está feito, é seguir a Jesus. O discípulo submete sua vontade a Jesus e se dispõe a viver dia a dia completamente para fazer a vontade do Senhor. O discipulado acontece na convivência da comunidade. O cuidado mútuo é instrumento de Jesus no discipulado. Os mandamentos recíprocos mostram isso claramente. Veja alguns exemplos:

1. Amemos, de coração, uns aos outros ardentemente (1Pe 1.22; 1Jo 3.11, 23; 4.11-12).
2. Amemos cordialmente e honremos uns aos outros (Rm 12.10).
3. Tenhamos o mesmo sentimento uns para com os outros (Rm 12.16; 15.5).
4. Não julguemos uns aos outros (Rm 14.13).
5. Sigamos a paz e a edificação de uns para com os outros (Rm 14.19).
6. Acolhamos uns aos outros (Rm 15.7).
7. Admoestemos uns aos outros (Rm. 15.14).
8. Cooperemos e cuidemos uns dos outros (1Co 12.25).
9. Sirvamos uns aos outros pelo amor (Gl 5.13).
10. Levemos as cargas uns dos outros (Gl 6.2).
11. Suportemos uns aos outros (Ef 4.1-2; Cl 3.13).
12. Sejamos bondosos e compassivos uns com os outros (Ef 4.32).
13. Falemos uns com os outros com alegria e louvores a Deus (Ef 5.19).
14. Sujeitemo-nos uns aos outros no temor de Cristo (Ef 5.21).
15. Não mintamos uns aos outros (Cl 3.9).
16. Perdoemos uns aos outros (Cl 3.13).
17. Ensinemos uns aos outros (Cl 3.16).
18. Aconselhemos uns aos outros (Cl 3.16).
19. Cresçamos no amor para com todos (1Ts 3.12).
20. Consolemos uns aos outros (1Ts 4.18).
21. Exortemos uns aos outros (Hb 3.13).
22. Estimulemos uns aos outros (Hb 10.24).
23. Não nos queixemos uns dos outros (Tg 5.9).
24. Confessemos os nossos pecados uns aos outros (Tg 5.16).
25. Oremos uns pelos outros (Tg 5.16).
26. Sejamos, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração (1Pe 4.9).
27. Sejamos todos humildes uns para com os outros (1Pe 5.5).
28. Saudemos uns aos outros com amor e carinho (1Pe 5.14).

Esse é o verdadeiro discipulado, a fraternidade vivenciada conforme os valores do Evangelho. Discipulado é um estilo de vida que envolve tudo o que somos e temos o tempo todo. Não se trata de um programa, ou de um curso com diplomação em discipulado. Jesus falou contra os falsos profetas (Mt 7.21-23), mas devemos cuidar para não sermos falsos professos que falam mas não são, cheios de conhecimento bíblico, mas sem o fundamento de uma vida firmada na rocha que é Jesus (Mt 7.24-27).

Dito isso, precisamos lembrar que a Bíblia fala dos “princípios elementares da doutrina de Cristo” (Hb 6.1). É claro que devemos avançar para a maturidade, mas não podemos ignorar os que estão começando. Eles precisam começar bem seguros na verdade do que Jesus é, fez, faz, e fará para nós.

Que entre nós o discipulado seja o jeito bom de viver para Deus com todas as pessoas, pois, tudo o que vem de Deus é para o nosso bem. Daí a importância de encarnarmos os valores do Evangelho em todo o nosso jeito de ser.

Antonio Francisco - Cuiabá, 13 de maio de 2011 - Voltar para Mensagens.

1 comentários:

Estou sentindo dessas ultimas semanas nós não nos encontrarmos em comunidade,devido ao serviço,mas em todo momento minha mente e meu coração esta voltado à vocês.

Foi um ótimo post.
O Blog esta muito bom e Amém a todos.

De:
Josymar