1 de dez de 2010

Visão e Logomarca

O Espírito Santo gera unidade indestrutível entre os que andam com Jesus, mas a visibilidade dessa unidade está em nosso esforço diligente. A evidência de que a unidade é uma realidade entre nós, é a paz em nossos relacionamentos. Sem paz na relação não há comunhão. Unidade é coisa do coração, não da geografia, mas não podemos negar que essa unidade precisa ser mostrada dentro da igreja.

Desse modo, nos empenhamos para viver em paz com todos os de dentro e com os de fora, conforme Efésios 4.3 que diz: "Esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz". Assim, resumimos nossa visão na expressão:

Ser uma comunidade esforçada em preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz.

De forma mais ampla, sonhamos com uma comunidade espiritual, fraterna e crescente. Não confundimos o aprisco com o rebanho. O aprisco compõe-se daqueles que já assumiram a fé em Jesus e se congregam na caminhada da vida cristã; enquanto o rebanho envolve toda a coletividade amada igualmente por Deus.

“E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos jovens terão visões, e sonharão vossos velhos; até sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e profetizarão” (At 2.17-18).

Queremos ser um lugar onde o aflito, deprimido, frustrado e confuso encontra amor, aceitação, ajuda, esperança, perdão, direção e encorajamento. Ninguém precisa se enquadrar em nenhum esquema para andar conosco. O Evangelho de Jesus é o nosso referencial de conduta. Cada um decide-se por si mesmo na caminhada.

Sonhamos em compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com centenas de moradores da grande Cuiabá, especialmente nos bairros da região do Coxipó, como, Tijucal, Jardim dos Ipês, Altos do Coxipó, São Francisco, Santa Laura, Osmar Cabral, Liberdade, entre outros, pois, para nós como disse Jesus, “o campo é o mundo”.

Queremos dar as boas-vindas a todos que queiram andar com Jesus juntamente com nossa comunidade, nossa família de fé, amando, aprendendo, crescendo, rindo e vivendo juntos em harmonia. Desejamos semear a Palavra de Deus, ajudando pessoas a se desenvolver rumo à maturidade cristã, através de conversas, visitas, estudos bíblicos e grupos pequenos. Entre nós tudo acontece com naturalidade. Não vivemos de metas, planejamentos e estratégias; não somos guiados por um mapa, mas pelo Espírito Santo.

Contamos com a participação ativa de todos os que andam conosco. Cada um pode contribuir como puder, como quiser e com o que tiver. Queremos ajudar cada irmão a descobrir os talentos e dons que Deus lhe deu para ajudarmos uns aos outros e a todos que encontrarmos pelo caminho. Andamos conforme a direção que Deus nos dá. Paramos, recomeçamos, aceleramos, descansamos, avançamos, e alongamos a caminhada; entendendo que todo lugar é lugar nosso para a semeadura da Palavra de Deus.

Queremos estar sempre onde o povo está. Sempre usamos um lugar para os nossos encontros, mas somos uma comunidade itinerante. Podemos nos encontrar em uma escola, teatro, auditório, feira livre, casa, ou mesmo debaixo de uma mangueira. Não estamos interessados em aparecer; o que queremos de fato é ser. O sal só aparece quando não salga; quando salga ele não mais aparece, ele se torna parte transformadora do meio onde está.

Acreditamos na realidade dessa visão, contando sempre com a direção de Deus.

Por sugestão de minha filha Abigail a cor verde é a nossa cor principal. Sabe-se que a cor verde é a que enxergamos melhor, além da ênfase ecológica. Estamos em Cuiabá, conhecida como cidade verde. Usamos também as cores branca, e preta. Nossa logomarca é uma criação e presente de meu amigo Pastor Denilson Cunha. A figura passa a idéia de três pessoas alegres de braços abertos entrelaçados.

A Bíblia é um livro de simbologias. Muitas pessoas confundem símbolos com idolatria. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Pouca gente percebe que Deus mandou fazer imagens dentro do templo de Israel, dentro do santo dos santos, o lugar mais sagrado da presença de Deus na visão espiritual do povo do Senhor; Deus mandou colocar duas imagens de anjos sobre a Arca da Aliança. Mas, nada disso tem a ver com idolatria, a qual Deus condena. Deus é contra a idolatria, mas não é contra o uso de imagens e símbolos que tenham significados para nós. Depois do dilúvio Deus fez uso do arco no céu para lembrar a humanidade que a terra nunca mais seria destruída por água. Deus fez uso de imagens com Abraão. Ele pediu que Abraão olhasse para as estrelas do céu e para a areia da praia e imaginasse que assim seria sua descendência. Isso teve um impacto na mente do velho patriarca.

Durante a caminhada do povo de Israel pelo deserto, Deus falou com ele de muitas maneiras. Numa dessas ocasiões por causa da murmuração, Deus enviou contra eles serpentes venenosas que matou a muitos. Houve um clamor e Deus mandou que Moisés, o líder do povo fizesse uma serpente de bronze e a pendurasse numa haste. Toda pessoa que olhasse para a serpente de bronze depois de ser mordido por uma cobra não morria, pelo contrário, era sarada. Algum tempo depois o povo começou a adorar a imagem e Deus mandou destrui-la. Jesus não condenou a imagem do imperador romano nas moedas; os primeiros cristãos usavam símbolos como a pomba, a cruz, o peixe, entre outros. Então, há lugar para símbolos; por isso, usamos esse apresentado acima.

Antonio Francisco - Cuiabá, 1 de dezembro de 2010 - Voltar para Mensagens.

0 comentários: